O Método Científico



A construção da ciência, como conhecemos hoje, surgiu através de diversos debates e reflexões propostas pelo estudo da filosofia, que até determinado momento da história era considerada base de todo o conhecimento. E, com o tempo, novas ideias e orientações foram surgindo, ocasionando a diferenciação do estudo científico.


O filósofo René Descartes, buscando um padrão e regularidade na forma de se produzir ciência, em 1637, ao escrever o livro “O discurso do método” marca o nascimento do método científico moderno. Esse método é um conjunto de procedimentos que devem ser executados para se chegar ao conhecimento científico.


Algumas pessoas, durante sua criação, já ouviram de parentes próximos que em dias de chuva com muitos raios, é necessário não ficar em frente à espelhos ou, até mesmo, tapá-los, caso contrário, poderiam ser eletrocutadas. Esse é um bom exemplo do que é considerado um senso comum, uma pseudociência, pois não há nenhuma teoria comprovada por trás desses argumentos, ou seja, não foi realizado um método científico para chegar a essa conclusão.



As etapas que devem ser realizadas para obter essa conclusão são:

1. Observação: os fatos devem ser notados de maneira organizada e sistemática;

2. Hipótese: deverão ser estabelecidas hipóteses através de questionamentos gerados pela observação e, tais hipóteses, devem ser específicas e passíveis de testes;

3. Experimentos: diante das hipóteses, são estipuladas previsões, que serão analisadas através da experimentação. Através dessa etapa é possível reformular ou descartar hipóteses;

4. Teoria/conclusão: após o acúmulo de evidências com os experimentos, há a formulação de uma teoria.


O método científico está presente, também, no dia-a-dia. Um exemplo: Um aluno, ao tentar estudar, notou que seu computador não estava mais carregando (observação) e se questionou sobre os motivos desse acontecimento. Primeiramente, supôs que a tomada não estava funcionando corretamente (hipótese) e decidiu usar outra tomada (experimentação), porém constatou que ainda sim o computador não carregava.

Em seguida, pensou na possibilidade de o carregador ter sido danificado (hipótese) e decidiu, então, comprar outro e fazer um novo teste (experimentação). Dessa forma, ele concluiu que o computador não estava carregando, pois o carregador tinha parado de funcionar (teoria).


É importante ressaltar que qualquer teoria, mesmo sendo considerada verdadeira, pode ser questionada e modificada, o que já aconteceu diversas vezes. Em outras palavras, o estudo científico não é imóvel, mas sim progressivo, ou seja, evolui com o passar do tempo. Dessa forma, as pesquisas podem ser replicadas e complementadas por outros pesquisadores, o que é importante, pois incentiva atitude crítica diante da realidade e aumenta o grau de complexidade e segurança do estudo.